EFEITO DA URBANIZAÇÃO NAS INTERAÇÕES ENTRE ABELHAS E PLANTAS

Voltar

EFEITO DA URBANIZAÇÃO NAS INTERAÇÕES ENTRE ABELHAS E PLANTAS

Pesquisa Realizada por: Ingrid Naiara Gomes

Ano: 2020

Linha: Conservação manejo e uso sustentável de fauna e flora

Bioma: Cerrado

Os fatores ligados a expansão e desenvolvimento urbano podem alterar as interações entre plantas e seus polinizadores, afetando a estruturação e estabilidade das comunidades. Em um gradiente urbano, essas alterações podem ocorrer através de mudanças na composição das espécies (pelos processos de extinção e invasão) e pela probabilidade e frequência das interações, alteradas devido à diminuição ou aumento da abundância de determinadas espécies nas cidades. Essas alterações podem levar a perda de serviço ecossistêmico, sendo importante entender a estrutura e dinâmica dessas interações na cidade. 

As áreas urbanas foram durante muito tempo negligenciadas em relação às estratégias de conservação para a biodiversidade. Apesar do impacto causado por esse processo, têm sido demonstrado que a diversidade e riqueza de alguns grupos de polinizadores, dentre eles as abelhas, podem ser mantidas nas cidades. Isso ocorre porque espaços verdes urbanos como parques, praças, hortas e jardins podem fornecer recursos florais e de nidificação, possibilitando uma variedade de locais de forrageio para as abelhas nas cidades. Entretanto, esse suporte dependerá das características dessas paisagens, como heterogeneidade da vegetação, disponibilidade de recursos, distâncias de áreas nativas, assim como do manejo adequado nesses ambientes. 

Neste contexto, a proposta desse projeto é compreender como uma matriz urbana heterogênea (utilizando a cidade de Belo Horizonte como modelo) influencia as redes de interações entre plantas e abelhas nativas e entender através da caracterização do habitat e preferências florais como as áreas verdes e ambientes naturais podem influenciar ou alterar os impactos provenientes da urbanização. Com os resultados desse trabalho e o apoio do Programa Bolsas FUNBIO – Conservando o Futuro, esperamos compreender como a biodiversidade pode ser promovida nas cidades a fim de contribuir com esforços e ações nacionais de conservação para diferentes espécies de abelhas nativas em ambientes urbanos do Brasil. 

 

Currículo Lattes

Biografia:

Meu nome é Ingrid Naiara Gomes, sou formada em Ciências Biológicas (UFV- Campus Florestal) e mestra pela mesma instituição. Atualmente sou doutoranda no programa de Ecologia, Conservação e Manejo da Vida Silvestre (UFMG). Estudo as abelhas desde a graduação e meu interesse atual de pesquisa é entender a estrutura e dinâmica das interações entre as comunidades de abelhas e plantas em um gradiente de urbanização e levantar estratégias que contribuam com a conservação desse grupo em espaços verdes urbanos.

Fotos