Bolsas Funbio

IMPACTO DAS TINTAS ANTI-INCRUSTANTES NA BAÍA DA ILHA GRANDE

Pesquisa Realizada por: Bruno Cordeiro Alcantara Cunha

Ano: 2019

Linha: Conservação manejo e uso sustentável de fauna e flora

Bioma: Marinho Costeiro

Em escala global, os ambientes marinhos mesmo quando livres de fontes pontuais de contaminação, estão expostos, frequentemente, a possíveis efeitos de biocidas derivados das tintas utilizadas nos cascos das embarcações, como o caso dos biocidas organometálicos e metálicos.

Desde o início do século 21, o cobre é usado como o biocida mais importante em tintas, com concentrações de até 35% em peso, estando presente na forma de óxidos e compostos organometálicos. Altas concentrações desse metal foram relatadas em regiões de marinas, portos e baías, ameaçando os ecossistemas adjacentes.

O presente projeto se propõe a desenvolver estudos sobre o impacto, comportamento e destino do cobre oriundo das tintas anti-incrustantes em ambientes costeiros marinhos. Nesse sentido, serão realizadas análises geoquímicas clássicas (elementos maiores e traços) e isotópicas (δ65Cu) em diversas matrizes ambientais da região, como rochas, material particulado em suspensão (MPS) e dissolvido Baía da Ilha Grande; testemunho sedimentar em região de marina e organismos aquáticos (moluscos bivalves).

Esta combinação de abordagens permitirá entender o ciclo biogeoquímico deste elemento além de possibilitar, pela primeira vez em um sistema costeiro do país (e do mundo), o dimensionamento das contribuições relativas das tintas anti-incrustantes para os ecossistemas costeiros.

Currículo Lattes

Biografia:

Sou oceanógrafo (UERJ), com mestrado em geoquímica ambiental (UFF) e doutorando em geoquímica dos processos exógenos pela USP. Venho trabalhando com comportamento de metais traços em amostras ambientais da costa sul do Estado do Rio de Janeiro desde 2008, ano em que comecei minha iniciação científica. O foco do meu trabalho sempre foi isótopos de metais, a princípio com Pb e atualmente com isótopos estáveis de Cu e Zn. A abordagem com isótopos permite uma melhor caracterização de fontes e processos biogeoquímicos destes elementos no meio ambiente.

Fotos

Biblioteca

Documento: Bruno Cordeiro Alcantara Cunha - Projeto de Pesquisa