INTEGRANDO ECOFISIOLOGIA E MUDANÇAS CLIMÁTICAS NA IDENTIFICAÇÃO DE VARIAÇÃO ACÚSTICA E PREDIÇÃO DE RISCO DE EXTINÇÃO DE SAPOS, RÃS E PERERECAS NA CAATINGA

Voltar

INTEGRANDO ECOFISIOLOGIA E MUDANÇAS CLIMÁTICAS NA IDENTIFICAÇÃO DE VARIAÇÃO ACÚSTICA E PREDIÇÃO DE RISCO DE EXTINÇÃO DE SAPOS, RÃS E PERERECAS NA CAATINGA

Pesquisa Realizada por: Arielson dos Santos Protázio

Ano: 2020

Linha: Mudanças climáticas e conservação da biodiversidade

Bioma: Caatinga

O aquecimento global é considerado a principal ameaça à conservação da diversidade biológica do nosso século e a previsão é que cause a extinção de muitas espécies. Anfíbios anuros (sapos, rãs e pererecas) são um dos grupos animais mais ameaçados, uma vez que apresentam uma série de restrições fisiológicas que os tornam vulneráveis aos efeitos do aquecimento.

Os machos dos anuros cantam (coaxam) para atrair as fêmeas para a reprodução. Desse modo, é possível que as variações climáticas causem, até mesmo, mudanças nas características dos cantos, o que pode ter consequências desastrosas para o reconhecimento pelas fêmeas e manutenção populacional.

A Caatinga é um Bioma semiárido exclusivamente brasileiro, caracterizado por intensos períodos de seca. Alguns estudos tem identificado um aumento da aridez e desertificação da Caatinga, com intensificação dos períodos de seca nos últimos anos.

Ainda assim, poucas investigações tem buscado verificar os efeitos do aquecimento global sobre a fauna desse Bioma, o que revela uma despreocupação com a saúde da sua biota, bem como de todos os seres humanos que aí vivem.

Devido a isso, nós buscamos verificar como o clima afeta o comportamento acústico dos sapos, rãs e pererecas que habitam a Caatinga, a fim de estabelecer se a temperatura do substrato de canto, temperatura do corpo, bem como a estrutura das vocalizações desses animais serão afetadas pelos episódios de variações climáticas previstas para o futuro, possibilitando inferir o status de ameaça desses animais frente ao aquecimento global.

 

Currículo Lattes

Biografia:

Me chamo Arielson dos Santos Protázio. Sou licenciado e Mestre em Ciências Biológicas. Atualmente sou professor da UFRB e Doutorando em Ciências Biológicas (Zoologia) pela UFPB. Tenho um fascínio em estudar como os animais se relacionam entre si e com o ambiente em que vivem. Acredito que essa abordagem pode gerar informações que nos ajudem a entender como a vida se organiza na Terra. Além disso, ela também pode ajudar a entender como nós seres humanos nos relacionamos com o mundo.

Fotos