O POTENCIAL DA RESTAURAÇÃO FLORESTAL NA PROVISÃO DE SERVIÇOS ECOSSISTÊMICOS NA BACIA DO RIO DOCE

Voltar

O POTENCIAL DA RESTAURAÇÃO FLORESTAL NA PROVISÃO DE SERVIÇOS ECOSSISTÊMICOS NA BACIA DO RIO DOCE

Pesquisa Realizada por: Ana Flávia Boeni

Ano: 2020

Linha: Recuperação de paisagens e áreas degradadas

Bioma: Mata Atlântica

Serviços ecossistêmicos são todos os benefícios que as pessoas obtêm da conservação dos ecossistemas, sendo essenciais para o nosso bem-estar. A obtenção de alimentos e matéria-prima, a regulação do clima, água de qualidade, conforto paisagístico são alguns exemplos.

Diante das ameaças do aquecimento global e problemas de escassez hídrica, os serviços ecossistêmicos de maior enfoque têm sido aqueles envolvendo à regulação hídrica e climática, relacionadas com a infiltração de água e a captura e estocagem do carbono atmosférico, que tanto as florestas quanto os solos conservados fazem muito bem. Por isso, a restauração florestal apresenta grande potencial na provisão destes serviços.

Este estudo verificará como a restauração florestal pode influenciar na estocagem de carbono acima e abaixo do solo, e como varia o estoque de carbono e a condutividade hidráulica entre diferentes usos da terra, buscando a valoração monetária dos serviços ecossistêmicos gerados através da restauração florestal.

O estudo será desenvolvido na bacia do Rio Doce, uma das mais degradadas do país, que requer ações urgentes de restauração florestal efetivas para os cenários da região, e que ainda possam gerar renda para os proprietários das terras.

O trabalho será divido em 3 partes, sendo a primeira um experimento de Regeneração Natural Assistida com diferentes graus de intervenções na regeneração natural, onde estamos analisando o incremento em biomassa vegetal e carbono no solo. A segunda parte envolve a coleta de solos e a medição da condutividade hidráulica no solo em áreas de uso agropecuário, solo exposto, regeneração natural e florestas maduras, para distinguir como estes variam de acordo com o uso.

E a terceira parte envolve uma revisão sistemática para buscar o efeito das florestas nos valores pagos pelos serviços ecossistêmicos de regulação hídrica e climática, que possibilitará a valoração dos serviços quantificados nas etapas posteriores.

 

Currículo Lattes

Biografia:

Meu nome é Ana Flávia Boeni, sou Engenharia Florestal pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), no Rio Grande do Sul, desde 2012. Cursei meu mestrado no Programa de Pós-Graduação em Recursos Florestais da ESAL/USP, Piracicaba/SP, junto ao Laboratório de Ecologia e Restauração Florestal (LERF), e recentemente retornei ao programa para cursar meu doutorado, que envolve a provisão e a valoração de serviços ecossistêmicos pela restauração florestal e por diferentes usos da terra na bacia do rio Doce.

Fotos