PESPECTIVAS PARA INDICAÇÃO GEOGRÁFICA DA FARINHA DE MANDIOCA NO MUNICÍPIO DE IRARÁ, BA

Voltar

PESPECTIVAS PARA INDICAÇÃO GEOGRÁFICA DA FARINHA DE MANDIOCA NO MUNICÍPIO DE IRARÁ, BA

Pesquisa Realizada por: Andreia Silva de Alcantara

Ano: 2020

Linha: Gestão territorial para a proteção da biodiversidade

Bioma: Caatinga

No município de Irará os camponeses têm criado diferentes estratégias para garantir sua reprodução. Na cidade, a produção de mandioca e seus derivados sobretudo a farinha de mandioca é uma estratégia para reprodução do campesinato, pois garante a renda necessária para  manutenção da família.

O modo de vida camponês expresso por meio da agricultura tradicional, das crenças, hábitos, organização e divisão do trabalho na unidade camponesa, saber popular, artesanato, entre outros, são características que se configuram como riqueza cultural do município de Irará.

Nesse contexto, a indicação geográfica da farinha de mandioca é mais uma ferramenta de resistência camponesa, identidade e desenvolvimento territorial que está sendo analisada pelos camponeses iraraense. Os camponeses vislumbram a possibilidade de ampliar e garantir o mercado justo para a comercialização da farinha de mandioca e buscam uma maior valorização do seu território.

 

Currículo Lattes

Biografia:

É Doutoranda pela Universidade Federal da Bahia. Possui Graduação (Bacharelado e Licenciatura, 2013) em Geografia pela mesma instituição. É pós graduada em Metodologia do ensino de Geografia (2020) pela Faculdade Batista de Minas Gerais. Possui Mestrado em Geografia (2017) pela UFBA. Possui Experiências nos campos de educação, pesquisas, assessoria técnica e pedagógica em comunidades camponesas. Atuou como docente no ensino fundamental 2 e ensino médio. Monitoria da disciplina Geografia Agrária, ministrada pela professora Dr. Noeli Pertile, na Universidade Federal da Bahia. Desenvolveu atividade de pesquisa na condição de bolsista em programas como o PIBIC (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica) assistido pelo CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e o Permanecer (Programa de formação integrada e apoio social aos estudantes da UFBA). Realizou no município de Mata de São João (Recôncavo Baiano, 2012) trabalhos com assessoria técnica e pedagógica em comunidades camponesas nas áreas de assentamentos da reforma agrária.