COMPREENDENDO A IMPORTÂNCIA DAS ÁRVORES ISOLADAS

Voltar

COMPREENDENDO A IMPORTÂNCIA DAS ÁRVORES ISOLADAS

Pesquisa Realizada por: João Luiz de Caires Souza

Ano: 2020

Linha: Conservação manejo e uso sustentável de fauna e flora

Bioma: Mata Atlântica

Este trabalho visa analisa uma possível função para as árvores isoladas em locais com atividades agropecuárias, pois acreditamos que as mesmas promovem a manutenção da biodiversidade de espécies, e também realizam a manutenção de processos ecossistêmicos naturais, que são essenciais para produção dos serviços ecossistêmicos que nós necessitamos. A produção de alimentos, a regulação do clima, a purificação da água são alguns serviços que o ambiente presta para nós em consequência da manutenção dos processos ecossistêmicos naturais.

O presente projeto está sendo realizado na REGUA (Reserva Ecológica do Guapiaçu) que fica localizada em Cachoeiras de Macacu, no Rio de Janeiro. A análise é feita verificando a produção das larvas de anuros (sapos, pererecas e rãs) a partir do aumento e crescimento das larvas dos anuros até atingirem o tamanho adulto e saírem da água. Uma vez que este processo de produção é afetado pela temperatura e umidade da água, estes parâmetros influenciam diretamente no tamanho que os adultos dos sapos, pererecas e rãs atingem. Esse estudo será feito analisando as espécies de anuros em três áreas distintas: poças em área com cobertura vegetal; poças em área com apenas uma árvore isolada; e poças no meio do pasto aberto.

O trabalho proposto tem grande importância visto a crescente perda de vegetação em virtude da expansão de atividades de agropecuária, além de utilizar como foco do estudo o grupo dos anuros, que é o grupo de vertebrados com maior proporção de espécies ameaçadas do mundo. E por fim, o ponto-chave desta pesquisa é entender como a manutenção das árvores em áreas de agropecuária podem manter a biodiversidade e processos ecossistêmicos que são essenciais para manutenção das atividades humanas.

 

Currículo Lattes

Biografia:

João Souza, Bacharel em Ciências Biológicas - Ênfase em ecologia e licenciado em Ciências Biológicas pela Universidade Veiga de Almeida, onde trabalhou com ecologia de insetos aquáticos no Parque Nacional da Tijuca. Atualmente é Mestrando em Biodiversidade Neotropical na Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) e vinculado ao Laboratório de Ecologia de Rios e Córregos - UERJ. Possui experiência nas áreas de insetos aquáticos, ecologia de riachos neotropicais, ecologia de comunidades e ecossistemas, conservação e biodiversidade.

Fotos