Bolsas Funbio

GESTÃO DO PASSEIO DO CAVALO-MARINHO – POPULAÇÃO E IMPACTO DA EXPLORAÇÃO TURÍSTICA PARA CONSERVAÇÃO DA ESPÉCIE NO NORDESTE DO BRASIL

Pesquisa Realizada por: Maria Laura Fontelles Ternes

Ano: 2019

Linha: Conservação manejo e uso sustentável de fauna e flora

Bioma: Marinho Costeiro

Cavalos-marinhos são peixes ameaçados em todo o mundo por intensa exploração extrativista pela pesca incidental e intencional, além da destruição de habitat, abrangendo manguezais e recifes de corais. Hippocampus reidi é a espécie de cavalo-marinho mais abundante no Brasil, mas sofre com a coleta para o comércio ornamental, uma vez que o país é o principal exportador da espécie para aquarismo na América Latina. H. reidi foi listado globalmente como deficiente em dados pela IUCN, recentemente atualizado para Quase Ameaçado em 2017, destacando a necessidade urgente de dados para definir seu status real.

Na lista brasileira de espécies ameaçadas, H. reidi já é classificado como Vulnerável devido ao declínio populacional, à superexploração e à perda de habitat. No entanto, no Brasil há um uso diferente destes peixes de forma não extrativa, para fins turísticos mantendo-os in situ. Moradores locais levam os turistas em um passeio de barco em áreas de manguezal em busca de cavalos-marinhos, que são coletados na natureza e colocados em frascos de vidro para os turistas observarem, sendo posteriormente devolvidos ao seu habitat natural.

As atividades de observação de cavalos-marinhos tem sido realizadas no Parque Nacional de Jericoacoara e na Área de Proteção Ambiental Delta do Parnaíba desde 2005 por iniciativa das próprias comunidades, permanecendo cientificamente não investigadas e não regulamentadas. O presente projeto visa contribuir com dados científicos e educação da comunidade para subsidiar a gestão e ordenamento das atividades de observação de cavalos-marinhos no Brasil, um passo importante para garantir a conservação de longo prazo de Hippocampus reidi, de modo que práticas sustentáveis sejam adotadas para promover a conservação desta espécie emblemática e ameaçada, proporcionando renda às comunidades costeiras que dependem economicamente dela.

Nosso foco é: avaliar o perfil socioeconômico, percepções e conhecimento ecológico dos atores locais por meio de uma abordagem etnobiológica (atividade já em andamento); realizar monitoramento populacional de Hippocampus reidi e experimentos comportamentais para avaliar possíveis impactos do turismo de observação de cavalos-marinhos e como mitigá-los.

Os produtos finais serão: recomendações técnicas para embasar tomadas de decisão para o ordenamento do uso turístico prezando pela sustentabilidade e conservação da espécie; um curso de capacitação dos operadores locais para práticas sustentáveis com relação aos cavalos-marinhos e seu habitat manguezal; publicação de artigos científicos, gerando dados para informar e atualizar a conservação de Hippocampus reidi, preenchendo algumas lacunas críticas de conhecimento.

 

Currículo Lattes

Biografia:

Possui graduação em Ciências Biológicas na Universidade do Vale do Itajaí - Univali (Itajaí- SC) e Mestrado em Zoologia Aplicada na Universidade Estadual de Santa Cruz - UESC (Ilhéus - BA). Experiência em pesquisa e conservação da biodiversidade aquática e terrestre.

Videos

Fotos

Biblioteca

Documento: Maria Laura F. Ternes - Projeto de Pesquisa