IDENTIFICANDO ÁREAS PARA CONSERVAÇÃO E FORMAÇÃO DE CORREDORES ECOLÓGICOS COM FOCO NA PREGUIÇA-DE-COLEIRA

Voltar

IDENTIFICANDO ÁREAS PARA CONSERVAÇÃO E FORMAÇÃO DE CORREDORES ECOLÓGICOS COM FOCO NA PREGUIÇA-DE-COLEIRA

Pesquisa Realizada por: Camila Armani do Souto

Ano: 2020

Linha: Recuperação de paisagens e áreas degradadas

Bioma: Mata Atlântica

A preguiça-de-coleira (Bradypus torquatus) é um mamífero existente apenas na Mata Atlântica, entre o sul de Sergipe e a região central do Rio de Janeiro. Conhecida por seus movimentos lentos, é também muito especialista em relação a sua alimentação e na escolha de seu hábitat, se alimentando de poucas espécies de folhas e vivendo no topo das árvores.

A espécie encontra-se classificada como vulnerável na lista de espécies ameaçadas de extinção devido, principalmente, a sua restrita área de ocupação, causada pela perda e fragmentação de seu habitat. As populações são pequenas e encontram-se separadas em quatro grupos principais: no estado do Rio de Janeiro, no Espírito Santo, no sul da Bahia e entre o norte da Bahia e sul de Sergipe. Sendo esta última o alvo da minha pesquisa.

Devido a sua vulnerabilidade e a urgente necessidade de ações para a proteção da espécie é que em meu trabalho busco identificar quais áreas são mais importantes para conservar, dessa forma manter as populações, e como conectar os fragmentos por meio de corredores ecológicos, que são faixas de vegetação que ligam remanescentes de mata, permitindo que a espécie possa de dispersar. Isso será feito a partir de modelos computacionais usando dados de ocorrência, climáticos e de paisagem. As informações obtidas podem guiar ações por parte de instituições e órgãos que atuem na área ou com a espécie alvo, além disso, o planejamento com enfoque na preguiça-de-coleira beneficiará outras espécies que compartilham do mesmo hábitat.

 

Currículo Lattes

Biografia:

Me chamo Camila, sou bióloga formada pela UNICAMP e especialista em manejo e conservação de fauna. Sempre me interessei em estudar a biodiversidade, atuar pela conservação e disseminar os conhecimentos.
Atuei com reabilitação de fauna, educação ambiental e produção de conteúdo audiovisual sobre natureza. Hoje desenvolvo meu mestrado na Universidade Estadual de Santa Cruz com foco na conservação da preguiça-de-coleira almejando fornecer dados aos tomadores de decisão.

Fotos