PEIXES RECIFAIS HERBÍVOROS: PESCA & CONSERVAÇÃO NO ANTROPOCENO

Voltar

PEIXES RECIFAIS HERBÍVOROS: PESCA & CONSERVAÇÃO NO ANTROPOCENO

Pesquisa Realizada por: Cacilda Michele Cardoso Rocha Cela

Ano: 2020

Linha: Conservação manejo e uso sustentável de fauna e flora

Bioma: Marinho Costeiro

Mundialmente, múltiplos estressores antrópicos como a sobrepesca, as mudanças climáticas, atividades turísticas e poluição têm contribuído para um aumento da destruição e fragmentação de ecossistemas recifais. Nesses ambientes, os peixes recifais podem prover inúmeros Serviços Ecossistêmicos-SE para manter a resiliência e beneficiar a humanidade e suas economias.

Os SE que os peixes herbívoros provêm regula processos ecológicos como a biogeoquímica, biodiversidade e herbivoria que promovem a manutenção da resiliência e, geram alimentos e renda para milhões de populações humanas.

Os grupos funcionais dos peixes herbívoros cumprem várias funções e suas interações tróficas nos ambientes recifais são fundamentais para a trofodinâmica dos recifes de coral tropicais. Atuando juntos, os grupos funcionais promovem a manutenção do controle da produtividade primária, fundamental para o estabelecimento da comunidade bentônica.

A sobrepesca contribui para uma diminuição de populações prejudicando a manutenção desses SE, e leva a uma diminuição de seus estoques, desencadeando efeitos em cascata que contribuem para o estabelecimento da mudança de fase. Esse fenômeno provoca uma substituição dos corais pétreos por macroalgas levando a uma diminuição e empobrecimento de espécies nos recifes.

O manejo dos estoques pesqueiros em Áreas Marinhas Protegidas – AMPs é uma ferramenta para o manejo e gestão visando potencializar a prevenção da mudança de fase da teia trófica recifal. A conservação dos recifes de coral na atualidade exige a combinação múltipla de informação científica, do poder público e do Conhecimento Ecológico Local-CEL.

Investigar como os peixes recifais herbívoros estão desempenhando funções que influenciam processos ecossistêmicos para prover SE, e entender como estressores antrópicos afetam esses processos através do CEL é essencial para informar a gestores e pesquisadores a promover diálogo e participação dos Sistemas Sócio-Ecológicos em AMPs.

 

Currículo Lattes

Biografia:

Sou Cacilda Rocha, Bióloga, Mestra em Biologia Vegetal, doutorando em Diversidade Biológica e Conservação nos Trópicos. Minha história sobre a Conservação da Biodiversidade é uma jornada repleta de transformações. Começou na graduação, onde fui integrante de projetos de extensão universitária e desenvolvi minha Monografia sobre o lixo em ambientes urbanos. Adquiri experiência profissional em Ecologia Aquática, Limnologia e Qualidade da Água. Hoje, estou empreendendo grandes esforços para construir um sonho repleto de aprendizados e conquistas para atuar pela Conservação Marinha.