Boas Práticas no Mercado Comunitário Caiçara de Trindade

voltar

O que é

A pesca artesanal na comunidade caiçara de Trindade (Paraty, RJ) é uma das principais atividades econômicas e contribui para a segurança alimentar das famílias locais e comunidades vizinhas. São vários os tipos de pesca praticados na comunidade, dependendo da época do ano e dos peixes: entre elas, arrasto de praia, linha e anzol, zangareio (um anzol específico para capturar lulas), caniço e extração de marisco, caracteristicamente artesanais.

Atualmente, a produção é dividida entre os pescadores, o excedente comercializado nos restaurantes locais e no Mercado Comunitário Caiçara de Trindade. Quantidades maiores são vendidas para atravessadores a preços irrisórios, em função da ausência de uma estrutura adequada para armazenamento e comercialização do pescado. Isso restringe a chance de agregação de valor à produção do pescado, ameaçando a manutenção desta atividade relevante para a cultura caiçara e a coesão da comunidade.

Como caminho para solucionar este problema e melhorar a renda das famílias pescadoras, a Associação de Barqueiros e Pequenos Pescadores de Trindade (ABAT) propõe implantar boas práticas de fabricação de alimentos (BPFA) no espaço do Mercado Comunitário Caiçara de Trindade, com foco no armazenamento e comercialização do pescado, adequando a estrutura existente e a capacidade de gestão da produção. Melhorias na refrigeração, recebiento e armazenagem permitirão  pleitear melhores oportunidades de comercialização ao longo de todo o ano, com prioridade para o mercado local (restaurantes e bares) e comunidades vizinhas, a um preço justo para os pescadores e compradores, além da oferta de um produto fresco e de qualidade.

Ao construir estratégias de gestão, produção e comercialização , o projeto Mercado da Trindade (Boas Práticas no Mercado Comunitário Caiçara de Trindade) contribuirá para o fortalecimento da sustentabilidade da pesca, a identidade local do pescador e a governança coletiva. E, também promover trocas sobre aproveitamento do pescado com as mulheres da Escola do Mar, iniciativa comunitária na escola municipal de Trindade que busca inserir a cultura caiçara na educação formal

A iniciativa também prevê proporcionar um espaço de socialização e trocas entre as mulheres de Trindade, começando pelas mães da Escola do Mar, outra iniciativa comunitária que visa à troca de saberes tradicionais entre mestres e crianças e jovens. A ideia é promover trocas sobre aproveitamento do pescado, em rodas de diálogo e convivência, nas quais mulheres poderão experimentar novas receitas com pescado para alimentação familiar e oferta em seus estabelecimentos, e ainda compartilhar memórias e sonhos.

Ao final do projeto espera-se que os manipuladores tenham entendimento das atividades necessários para a garantia da qualidade higiênico-sanitária do produto e que estabeleçam com apoio técnico os procedimentos operacionais padrão (POPs) do mercado. A adoção de cadernos para registro dos procedimentos de qualidade também é esperada.

Com isso, os pescadores terão mais oportunidades de ampliar a renda familiar, a pesca artesanal será valorizada e estará diretamente associada às atividades do turismo, em especial o de base comunitária.

A ABAT pretende com a proposta dar mais um passo no fortalecimento da pesca artesanal local e regional, contribuindo para a valorização da identidade e do modo de vida caiçara.

Situação

Em Andamento

Ano início

2021

Bioma

Marinho Costeiro

mapa de atuação

Expandir o mapa