Parceria para a Implementação do Parque Ecológico Mico-Leão-Dourado

voltar

Descrição do projeto

Localizada no município de Silva Jardim, no Estado do Rio de Janeiro, a sede da Associação Mico-Leão-Dourado (AMLD) deverá se tornar um parque ecológico aberto à visitação em 2021. A fazenda, em que desemboca um pioneiro viaduto que permitirá a travessia segura dos animais sobre a rodovia BR-101, funcionará também como corredor ecológico, conectado à Reserva Biológica de Poço das Antas. A conectividade de ilhas dispersas de Mata Atlântica é fundamental para assegurar o movimento dos animais da espéce Leontopithecus rosalia e o consequente fluxo genético.

O projeto Parceria para a Implementação do Parque Ecológico Mico-Leão-Dourado, financiado com recursos doados pela ExxonMobil, apoia a estruturação e a consolidação do parque. A iniciativa dá continuidade ao apoio da empresa, iniciado em 2019, e que viabilizou o plantio de mais de 20 mil mudas de espécies nativas no local, em área equivalente à de 14 campos de futebol.

Entre os benefícios proporcionados está a construção de um mirante que permitirá aos visitantes e pesquisadores a observação e monitoramento de grupos de micos. Localizado numa parte alta do parque, ele proporcionará ainda uma privilegiada visão da paisagem. O projeto prevê ainda a capacitação de guias – que resultará em geração de renda local – e eventos presenciais para conhecer os animais, o meio em que vivem e os principais desafios enfrentados.

Hoje, estima-se que a população da espécie, que ocorre somente nesta parte da  Mata Atlântica, no estado do Rio de Janeiro, seja de apenas 2,5 mil animais (contra 3,7 mil em 2014). A população foi severamente impactada pelo surto de febre amarela no Sudeste a partir de 2016, que matou um grande número de primatas.

Descrito por viajantes já no século XVI, o pequeno animal com pelagem de vivo alaranjado foi vítima do tráfico desde então. Capturados e engaiolados, eram enviados à Europa, onde eram oferecidos a nobres como mascotes dos exóticos trópicos.

A espécie, que estampa a nota de R$ 20, é um caso de sucesso de conservação no Brasil. Dos 200 animais existentes nos anos 1970, hoje a população é mais de dez vezes maior, graças ao contínuo esforço de conservação.

 

ODS

 

 

Situação

Em Andamento

Bioma

Mata Atlântica

Parceiros

Nome da empresa

mapa de atuação

Expandir o mapa