ANÁLISE DE OTÓLITOS E ESTOQUES PESQUEIROS

voltar

O que é

Foto: Marilene Viero / Funbio

 

Entender os padrões de uso do habitat por populações de peixes é fundamental para avaliar sua resiliência à destruição dos habitats e à pesca, e é essencial na aplicação de medidas de conservação e uso sustentável.

Muitos peixes costeiros movimentam-se entre as áreas rasas de baías, estuários, lagoas costeiras e a plataforma continental interna ao longo da vida. A análise de otólitos – estruturas de carbonato de cálcio encontradas no ouvido interno dos peixes – permite estudar essa movimentação. Elementos químicos do ambiente imprimem marcas nos otólitos e funcionam como “carimbos químicos” que viabilizam o rastreamento dos peixes.

O principal objetivo da iniciativa Análise Química de Otólitos como Ferramentas para a Identificação de Estoques Pesqueiros, Migração e Conectividade entre Habitats na Costa do Rio De Janeiro, liderado pela Fundação De Apoio À Pesquisa Científica E Tecnológica Da Universidade Federal Rural Do Rio De Janeiro – Fapur, é, por meio da análise química destas estruturas, identificar padrões de movimentação e migração das espécies estudadas, bem como a conectividade de suas populações na costa  do estado do Rio de Janeiro. Será estudada a distribuição de peixes jovens e adultos de espécies importantes para a pesca, como corvinas (Micropogonias furnieri), tainhas (Mugil liza), pescadas (Cynoscion leiarchus) e robalos (Centropomus undecimalis).

situação

Em Andamento

Ano início

2016

biomas

Marinho Costeiro

mapa de atuação

Local onde acontece o Análise de Otólitos e Estoques Pesqueiros

expandir o mapa